terça-feira, 19 de maio de 2009

Pequenos gestos de amor


Terça-feira, 19 de maio de 2009, 10:50h de uma manhã com clima agradável, nem frio nem quente. Tempo gostoso.

Depois de passar a manhã toda dando aulas e falando sem parar, finalmente estava na reta final do quarto horário – um dos horários em substituição a uma colega. Tinha conseguido, com certa dificuldade, colocar a sala em ordem e manter os alunos atentos. Sim... No quarto horário, depois do terceiro ter sido na biblioteca, em meio a tantos livros interessantes, eles estavam eufóricos. Mas, enfim, haviam se concentrado na minha humilde aula de matemática.

Isso até, exatamente às 10:50h, minha linda, loira e essencial coordenadora Monika (espero que ela leia este texto e me dê um 10 na avaliação de desempenho!! Brincadeira, claro... Sou fã da Monika, gostei dela desde que a conheci no início de 2008; é uma excelente profissional, uma ótima colega de trabalho e uma pessoa iluminada!!) me chamar na porta da sala, muito séria: “Professora Hélia, venha até aqui me explicar uma coisa!”.

Fui até a porta assustada e Monika me disse: “Este rapaz disse que trouxe isso aqui para você, me explica essa história!”. Olhei para o lado e o “rapaz” era o entregador da floricultura... com um arranjo lindo de rosas brancas e amarelas! Lindo, lindo... “Hoje é dia de que?”, ela perguntou, sorrindo. E eu: “São pra mim mesmo? Porque não é dia de nada...”. O rapaz sorriu: “Mas isso é que é o melhor, não é? Quando não é dia de nada”.

(Observação rápida: o buquê é esse mesmo da foto acima! Eu o fotografei quando cheguei em casa!!)

Peguei as flores e nem pude responder. De repente tinha mais de 20 crianças na porta, pulando em cima de mim e gritando: “´É do namorado dela! Tá namorando, tá namorando!”.

Depois disso, até às 11:15h, quando os pais buscam as crianças menores, praticamente não foi possível mais dar aulas. Os alunos queriam pegar nas flores, ler o cartão, fazer mil perguntas sobre o “namorado” – que, aliás, eles acharam que era o entregador .

Quando os alunos saíram, fiquei olhando as flores, lendo o cartão – simples, com poucas e rápidas palavras – e pensando no que o entregador disse. Sim, é melhor quando não é dia de nada. Porque, na verdade, todo dia é dia de se dizer a alguém o quanto ele ou ela nos é especial. Todo dia é dia de se falar, de alguma forma: “Você é importante para mim e eu sou uma pessoa mais feliz com você na minha vida”. Mas não só falar. Especialmente, e mais importante: demonstrar.

Fico pensando na sensação que se tem ao enviar flores para alguém e ficar, de longe, imaginando se a pessoa recebeu... como ela sorriu ao ver as flores... o que ela sentiu ao ler o cartão... se seus olhos brilharam...

Sempre recebi flores no trabalho e sempre me emocionarei com o gesto. Mas não é apenas o gesto de mandar flores que me emociona. É um telefonema no meio da tarde, dizendo: “Pensei em você agora, estou com tanta saudade!”... É um email, com poucas linhas, apenas para lembrar o quanto você é importante... É um bilhetinho deixado dentro da sua bolsa, sem que você perceba, e que você encontra quando menos espera... É um sorriso imenso que se abre no rosto do outro ao te ver... É um “eu te amo” que você sabe que é sincero, e que a pessoa não fica dizendo a cada dia para alguém diferente.

Fiquei pensando no motivo das flores... Talvez porque ontem e hoje eu estivesse um pouco triste e ele tenha percebido - embora a tristeza não tenha mesmo nada a ver com ele... Talvez porque ele viu as flores e pensou em mim... Ou talvez não, talvez ele já tivesse planejado isso há mais tempo...

Antes de sair da escola liguei para agradecer pelas flores. Sentir o sorriso do outro no celular, ao te ouvir, é indescritível. Mas o melhor pra mim foi ouvir, quando eu disse que havia ficado surpresa, pois não era nenhuma data especial: “É só que você é linda e eu te amo muito”.

Eu disse “pequenos gestos de amor”?

Não, não... são tão GRANDES que não seria possível descrevê-los neste texto...


Hélia

3 comentários:

Henrique disse...

Certamente vc merece todos os gestos de amor e de carinho. Bjs. Henrique

Mari disse...

Muito bonito o gesto. Mas não é só isso, né?! Acho que educação é essencial também, mas enfim, você merece muito mais do que isso! Muito muito muito muito muito muito mais! Por isso, que te desejo tudo de perfeito sempre! Muito obrigada por ter me ensinado a ser como sou hoje... amo você!

monika.antunes disse...

Lindo, lindo, lindo!
O Allan tinha que dar um curso sobre como ser realmente romântico!!!
Obrigada pelos elogios e vc sabe que eu acho o mesmo de vc>...
Bjs!!!