sexta-feira, 2 de maio de 2014

Enquanto isso, em Love City...



Ainda bem que passei boa parte da minha infância e adolescência lendo as revistas de super-heróis que meu pai vendia. Afinal, deve ser apenas por isso que eu acredito tanto que existe um universo paralelo, uma realidade alternativa em que eu e você demos certo.

Lá, nós não desistimos um do outro e lutamos heroicamente pelo nosso amor.

Lá, você ainda diz aquele “Bom dia, meu amor” a cada manhã e eu ainda me arrepio toda vez que ouço isso... como na primeira vez.

Não temos muita coisa, mas tudo que temos nós conquistamos juntos.

Eu não disfarço minha irritação com o excesso de intimidade das suas amigas e você morre de ciúme de qualquer homem que se aproxime de mim. Você ainda ri da minha eterna cara de sono e eu ainda fico brava com a sua mania de querer dormir quando estou bem acordada! Você continua cochilando quando eu começo a falar demais. Eu ainda fico em dúvida se a causa dos cochilos é cansaço, tédio ou se é apenas um truque para evitar discussões comigo. Sim, você ainda fica calado quando eu estou nervosa – o que me irrita mais – e depois me diz: “Não gosto de discutir com você. Fico triste. Não gosto.” e aí eu me derreto e esqueço a raiva. Apesar das suas fugas, nós discutimos quase todos os dias. Mas nunca vamos dormir brigados.

Nesses dias cinzentos e melancólicos, é a minha crença nessa outra dimensão que me fortalece.  É ela que me faz sorrir, essa certeza de existe um mundo em que eu costumo fechar os olhos e suspirar, pensando em como eu amo você intensamente mesmo depois de tantos anos. E de que, quando abro os olhos, você está me observando com aquele sorriso lindo, pensando exatamente o mesmo que eu. Então, você me abraça e eu penso que nossa vida não é aquele conto de fadas que a gente imaginava, feito de passeios de mãos dadas, de namoro vinte e quatro horas, de risadas e conversas amenas.

Temos problemas, divergências e contas pra pagar no meio dos beijos e poemas. Não sou a mocinha perfeita e feita só de virtudes, você não é o cavaleiro destemido e imbatível: somos repletos de falhas e receios. Mas quando a noite cai e eu adormeço nos seus braços, até que eles fiquem dormentes de tanto me abrigar, eu sei que não existem mocinhas, mocinhos ou heróis – em qualquer mundo, realidade ou dimensão – que sejam tão felizes quanto nós!

“Pra saber o que é o amor, é preciso amar assim...
E o amor que eu sinto por você é igual ao seu por mim.
O amor é energia, é luz que ilumina a alma.
É a força de dois corações... que traz a paz e acalma...”
(Roberto Carlos – O amor é mais)

Hélia Barbosa 
^^



* Esse texto foi escrito e publicado originalmente no Retratos da Alma - www.retratosdaalma.com.br. *

4 comentários:

Tatiana Kielberman disse...

Posso simplesmente dizer que amo?

Então... amo muito!

Saudade de tudo por aqui! ^^

ᄊム尺goん disse...

Ganhei meu dia de blogueira....adorei tanto aqui!!!


beija0

JOSÉ CARLOS SOBROZA disse...

Hummmmm... Tão emotivo e realista.
Amei...
O meu Continua sendo Platônico, mas... Continua. Bjks Mineirinha

Hélia Barbosa disse...

Pessoas lindas com comentários encantadores... Quem ganha o dia, com vocês três, sou eu!

Amo!