sábado, 8 de agosto de 2009

Sim, eu prefiro a verdade...


“Quando a gente está sozinha numa casa e ouve barulho no andar térreo, fica logo assustada pensando em ladrões. Se não desce para ver o que é, passa o resto da noite preocupada, não dorme ou dorme mal, tem pesadelos. O melhor é descer, verificar que foi apenas o gatinho que virou a cadeira; depois voltamos pra cama e dormimos tranqüilos.” (extraído do livro “Olhai os lírios do campo”, de Erico Verissimo)

A minha perdição é que ele falava sorrindo! E aquela sua voz tranqüila, em meio ao seu sorriso, com aquelas palavras lindas, fazia tudo parecer perfeito!

Mas a questão é que eu nunca fui muito de confiar em perfeição... Na verdade, eu sempre desconfiei, sempre, sempre!

E ele dizia:

- Você é especial demais para mim! O que eu sinto por você, eu juro que nunca senti por ninguém! Eu te quero como nunca quis ninguém, de uma forma intensa e de uma forma única... Não consigo imaginar o meu futuro se não for com você...

E enquanto sua voz me encantava, eu pensava o que deveria dizer naquele momento mágico... Talvez eu devesse dizer que era tudo recíproco, que eu sentia exatamente o mesmo... Talvez eu devesse dizer que o amava tanto! Talvez...

E ele continuava:

- Quando nos afastamos, meu peito se aperta, quase morro de saudade... Sinto tanto a sua falta! Acho que não sei mais viver sem você... Você é a mulher com quem eu...

- Você me ama? Mas ama, ama mesmo? – eu cortei sua fala, assim, de repente.

- Anh? – ele relutou... Hummm... mas ele não deveria relutar, ne...

- Se você me quer tanto assim, por que tem que estar sempre envolvido com outras mulheres?

- O que?

- Nunca sou só eu. Por que tem que ter outras pessoas?

- São coisas diferentes. – a voz dele já não era sorridente... Era tensa!

- Você sabe o quanto eu sou honesta. Você sabe. E que eu não mereço menos que honestidade. - a minha voz era doce, mas firme.

- Eu sei, claro. – ele estava assustado.

- Você me ama? - incrível como a minha voz era firme enquanto eu tremia por dentro!

- Amar, amar... não sei se posso dizer que é amor. Mas tenho um sentimento forte demais por você, eu não saberia como te explicar...

Ele continuou falando... Mas eu já não ouvia mais. Não sei dizer se ele ainda estava sorrindo. Sei que EU não estava. E naquele momento eu sabia outras coisas também. Sabia que ia chorar bastante naquela noite, abraçada aos meus travesseiros. Sabia que ia sentir muita falta dele. Sabia que ele sentiria minha falta também, mas se recuperaria logo, repetindo aquelas mesmas palavras para outras mulheres. Sabia que eu merecia muito mais do que um “sentimento intenso e único”, dividido com outras tantas mulheres. E eu soube também, naquele momento, que as pessoas só te enganam porque você se deixa enganar.

Quando você arranja coragem e resolve olhar de onde vem o barulho, pode ser que perceba que é só o gatinho e volte a dormir sossegada... Pode ser que não seja só o gatinho e que você perceba outras coisas, que talvez não sejam exatamente o que você desejava... mas o importante é que você percebe!! Porque viver na dúvida, sinceramente, é ruim demais...

Não é fácil abrir os olhos... Às vezes a luz é muito forte, às vezes a realidade tem cores que você não esperava... Mas acontece que você começa a ver também que existem tantas possibilidades! E que podem até ser muito melhores! Mas você só vai saber se for à luta e correr o risco de ser feliz!!

^^

Hélia

6 comentários:

Max Psycho disse...

max follow you always, kisses, baby

Flor disse...

Mas dá muito medo Helinha!

Beijinhos
Flor

Janeth disse...

SUMERGETE EN EL AMOR DE DIOS.
DE ESE MODO RENACERAS,
LIBERADO DEL MIEDO QUE
HASTA AHORA HA IMPEDIDO
A LA FUERZA DEL AMOR
TOMAR PLENAMENTE
POSESION DE TU CORAZON.

Lucas disse...

PERFECTTTTTTTTTTTTTTTTT

AMAR E TER OUTRAS NÃO DÁ...

BJXXX

São disse...

Sim, sem nenhuma dúvida: a verdade, sempre!!

Um grande abraço.

Ana Maria disse...

A dúvida atormenta demais.
Amiga, um maravilhoso domingo!
Muitos beijinhos!